Iogurtes – quais as melhores opções?

Uma das questões que mais me colocam é precisamente esta: quais os melhores iogurtes?

Algo tão simples e enraizado na nossa alimentação, como é o iogurte, não devia suscitar tantas dúvidas e incertezas, mas a verdade é que muita gente se perde no enorme corredor dos iogurtes, sem saber ao certo o que comprar.

Vamos então por partes!

O que é o iogurte?

Segundo a Portaria nº 742/92 de 24 de Julho, iogurte é “o produto coagulado, obtido por fermentação lática devido à ação exclusiva do Lactobacillus delbrueckii subsp. bulgaricus e do Streptococcus thermophilus sobre o leite e produtos láteos (…), devendo a flora específica estar viva e abundante no produto final.”

Podem ver mais aqui.

Então o que é suposto ter um iogurte? — Apenas isso! Leite e bactérias vivas.

Falamos, portanto, dos iogurtes naturais, que não têm “quaisquer adições além das culturas microbianas e do leite”.

Posto isso, uma vez definido que o melhor será optar por iogurtes naturais, surge outra questão:

Magro ou meio-gordo?

Pessoalmente, acho que se deve optar por um meio-gordo. Isto porque nos magros há uma redução do valor energético total à custa da redução do teor de gordura (<0,3%), mas há uma quantidade mais elevada de hidratos de carbono.

Acontece que um alimento com maior teor de gordura (gordura boa, não estou a falar de fritos, obviamente) é mais saciante, daí a minha escolha recair sobre esses iogurtes!

Deixo-vos alguns exemplos:

 

 

Claro que esta é a minha opinião, e estes são apenas alguns dos muitos iogurtes no mercado, entre tantos outros.

O que interessa é que olhem para o rótulo dos iogurtes e vejam os seus ingredientes! A tabela nutricional entra a seguir, sendo que devem analisar cuidadosamente e optar pelo produto que mais se adeqúe a vocês:

  • Tenho necessidades proteicas elevadas? — Então dentro dos naturais, escolho o que tiver mais proteína;
  • Fico longos períodos sem comer e preciso de algo saciante? — O melhor para mim é um com bom teor de gordura e de proteína.
  • Não posso ingerir grandes quantidades de gordura? — Vou então optar por um magro.

 

Percebem a ideia?

Somos todos diferentes, pelo que devemos adaptar a alimentação ao nosso caso, desde que o fio condutor e os fundamentos sejam os mesmos: sempre que possível, evitar açúcares e adoçantes, optando pelos naturais. E isto não serve só para os iogurtes, mas isso já é assunto para um próximo artigo…

E para os intolerantes à lactose?

Se estivermos a falar apenas de uma sensibilidade, à partida podem ingerir os iogurtes normais, pois a lactose já está mais digerida, uma vez que serviu de substrato à fermentação por parte das bactérias.

Para os intolerantes mesmo, podem optar por iogurtes sem lactose, ou por alternativas vegetais, adequadas também para quem segue um estilo de vida vegano.

Temos os seguintes exemplos:

 

Espero que vos tenha sido útil!

Laranja-lima

2 thoughts

  1. Òtimo, muita gente ainda confunde no caso da intolerância á lactose de descarta da dieta o iogurte, porém deve ser testado (no caso de haver qualquer reação indesejada, é uma ótima opção para se alimentar).

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s