Semana Mundial do Aleitamento Materno

Normalmente Laranja-lima foca-se mais em receitas deliciosas que estimulem os leitores a adotar um estilo de vida saudável, mas esta é a Semana Mundial do Aleitamento Materno, pelo que decidi rever as minhas aulas de Nutrição Pediátrica (lecionadas pela Professora Diana Maria Veloso e Silva) para falar um bocadinho desse tema.


👶

wbw2016-logo-text

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aleitamento materno é a maneira “normal” de fornecer às crianças pequenas os nutrientes que elas precisam para o seu crescimento e desenvolvimento.

Isto porque o leite materno apresenta diversas vantagens:

  • Contém as substâncias e nutrientes perfeitos para o bebé;
  • É facilmente digerível;
  • Protege contras as infeções;
  • É grátis.

A amamentação em si também é vantajosa, já que favorece a formação de um vínculo entre a mãe e a criança, e protege a saúde da 1ª (útero, hemorragias, anemia, redução do risco de cancro da mama e ovário).

Em relação ao leite de vaca, o leite materno tem menos quantidade de proteína, mas uma percentagem maior de proteína do soro do leite (70%, mais facilmente digerível) do que caseína (30%). Tem mais hidratos de carbono (80% de lactose), e 50% do aporte calórico provém da gordura, cuja absorção é facilitada pela presença de lípase dependente dos sais biliares.

O leite materno facilita ainda a absorção de cálcio e ferro, e garante o aporte suficiente da maioria das vitaminas, à exceção da Vitamina D.

O colostro (leite materno amarelado produzido no fim da gravidez) é recomendado pela OMS como o alimento perfeito para os recém-nascidos, e a sua ingestão deve ser feita na primeira meia hora após o nascimento, ou logo que possível. Entre as suas propriedades estão:

  • Alto teor em anticorpos, que protegem contra infeções e alergias;
  • Rico em glóbulos brancos, protegendo também das infeções;
  • É laxante, pelo que facilita a eliminação do mecónio (material fecal de cor esverdeada bastante escura, produzida pelo feto e normalmente expelida nas primeiras 12 horas após o nascimento) e reduz o risco de iterícia;
  • Presença de fatores de crescimento, que promovem uma maturidade intestinal mais rápida e previnem contra alergias e intolerâncias;
  • Rico em Vitamina A, prevenindo algumas infeções e doenças dos olhos.

Depois do colostro, o recém-nascido deve continuar a ser alimentado exclusivamente por leite materno até aos 6 meses (se possível), altura em que deve ser iniciada a alimentação complementar.

A partir daí, a diversificação alimentar deverá ser acompanhada pelo leite materno até aos 2 anos de idade ou mais.

Nem todas as mães conseguem amamentar os seus filhos durante tanto tempo, mas a introdução de fórmulas para lactantes deve ser adiada o mais possível, pois:

  • Interferem com o vínculo mãe-bebé;
  • Provocam mais diarreia e infeções respiratórias;
  • Têm um aporte insuficiente de Vitamina A;
  • Aumentam a mortalidade;
  • Aumentam o risco de alergia e intolerância ao leite, de doença crónica e de obesidade;
  • Podem causar piores competências intelectuais;
  • Aumentam o risco de uma gravidez inesperada e de anemia, cancro da mama e ovário  para a mãe.

Apesar de não haver alimentos que estimulem a produção de leite materno (isso é estimulado pela própria sucção por parte do bebé), há alguns cuidados que as mamãs podem ter:

  • Evitar alimentos como cebola, alho e picantes, que podem alterar o sabor do leite;
  • Praticar uma alimentação equilibrada, sendo contra-indicado o chá e o café em doses excessivas;
  • Evitar por completo as bebidas alcoólicas;
  • Selecionar e utilizar criteriosamente os fármacos durante a amamentação;
  • Adotar uma alimentação saudável e variada, ingerindo diversas frutas e vegetais, pois a ingestão de alguns alimentos por parte da mãe durante a amamentação pode influenciar as preferências da criança relativamente aos paladares e sabores dos alimentos oferecidos no período da diversificação alimentar.

Por último, relembro que estas informações podem ajudar, mas que o ideal é as mães e bebés serem acompanhados por bons/boas profissionais de saúde na área da pediatria, enfermagem e nutrição, garantindo os melhores cuidados para ambos.

De qualquer forma, espero que tenha sido útil para as mães e futuras mamãs, e mesmo para conhecimento geral ✿

Laranja-lima

P.S.: Deixo-vos com algumas imagens produzidas pela OMS para apoiar o aleitamento materno:

wbw_before-your-baby-is-bornwbw_when-your-baby-is-bornwbw_when-you-go-homeWHO_breastfeeding_graphic_series_mumWHO_breastfeeding_graphic_series_dadWHO_breastfeeding_graphic_series_familyWHO_breastfeeding_graphic_series_colleagues

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s